Câncer pode ter cura

Células cancerígenasO câncer pode ser curado quando bem operado, procure um Cirurgião Oncológico.

 

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA-MS), o termo câncer é utilizado genericamente para representar um conjunto de mais de 100 doenças, incluindo tumores malignos de diferentes localizações. Importante causa de doença e morte no Brasil, desde 2003, as neoplasias malignas constituem-se na segunda causa de morte na população, representando quase 17% dos óbitos de causa conhecida. Ainda segundo o INCA, o tratamento do câncer é feito por meio de uma ou várias modalidades combinadas. A principal é a cirurgia, que pode ser empregada em conjunto com radiote rapia, quimioterapia ou transplante de medula óssea. O médico especialista (Oncologista Cirurgião) deve escolher o tratamento mais adequado de acordo com a localização, o tipo e a extensão da doença.  Diante desta crescente e importante ameaça, estratégias eficazes de diagnóstico e tratamento são impostas.

 

Ainda hoje, mesmo entre profissionais de saúde, existem muita desinformação e mitificação da doença, que se mostra com ascendente melhora de sobrevida e de resultados globais do tratamento, nos permitindo falar muitas vezes em cura. O importante é termos em mente que isso se deve ao tratamento cada vez mais especializado e a uma filosofia adequada de combate, que só é possível com treinamento presente, sem dúvida, na conduta de um Oncologista formado nos vários centros nacionais de referência.

 

Profissionais de SaúdeSabendo que a cirurgia é a principal forma terapêutica do câncer e que falhas em sua realização são irremediáveis e catastróficas para o paciente, podemos compreender a importância deste profissional especializado que é o Cirurgião Oncológico, e que sua participação no tratamento de neoplasias, não só diminui os riscos e complicações do tratamento como, segundo a literatura atual, constitui um dos principais fatores de cura, pois sua vivência e treinamento amplos nas diversas áreas cirúrgicas permitem que tumores tidos por outros como irressecáveis (sem possibilidade de retirada) e/ou inoperáveis, sejam devidamente tratados com a única modalidade de tratamento que realmente assegura a cura: a cirur gia bem realizada. A não limitação técnica do Oncologista Cirurgião e seu domínio global do tratamento do câncer oferecem ao paciente a mais ampla e concreta oportunidade de êxito, principalmente na enfermidade dita avançada e com acometimento de vários órgãos. Citando um aforisma da especialidade: condenar um paciente a não retirada do tumor por limitação técnica do profissional é antiético e desumano. É contra isso que luta o Cirurgião Oncológico.

 

Mas quem é o Cirurgião Oncológico? Para o INCA e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica este especialista deve ser treinado a um alto nível de competência clínica e técnica cirúrgica no tratamento de tumores comuns e complexos, ser treinado e ter conhecimentos de biologia tumoral, mecanismos de disseminação dos tumores, compreender os princípios, extensão e limitações das diferentes modalidad es de terapia pela radiação, estar familiarizado com os conceitos teóricos e práticos das drogas quimioterápicas, estar preparado a avaliar evidência de estudos clínicos e assim estar em posição de propor novas linhas de pesquisa, ser treinado para avaliar e discriminar a aplicação de tecnologia moderna na investigação e tratamento de doença maligna, estar envolvido, como um membro de um time, em cada passo do processo de decisão e planejamento na estratégia do cuidado do paciente com câncer.

 

Sua área de atuação é ampla e compreende uma abordagem teórico-prática na prevenção, no diagnóstico e no tratamento dos pacientes portadores de neoplasia maligna, que apresentem indicação de tratamento cirúrgico com ênfase nas áreas Abdominopélvica, tumores Gastrointestinais, tumores Ginecológicos, tumores Mamários, tumores do Tórax, tumores do Tecido Ósseo, Conectivo, Pele e Urogenitais.

 

Vida saudávelSeus objetivos específicos são conhecer as principais políticas nacionais de controle do câncer, realizar o diagnóstico, o estadiamento e o tratamento dos tumores malignos das áreas cirúrgicas, diagnosticar e tratar as complicações do tratamento cirúrgico, diagnosticar e tratar as urgências oncológicas, compreender as bases do controle da infecção hospitalar, indicar, manusear e inserir cateteres vasculares, realizar cuidados paliativos nos pacientes, compreender as bases da reabilitação integrada aos pacientes, selecionar, preparar e apresentar atualizações científicas, avaliar procedimentos administrativos sugerindo mudanças para a melhoria do atendimento ao paciente, atuar em uma visão multidisci plinar, promovendo uma atenção integral ao paciente e relacionar-se de forma humanizada com a equipe, com os pacientes e com os cuidadores, com vista à atenção integral.

 

No Distrito Federal, contamos com a presença de vários profissionais Cirurgiões Oncologistas de formação internacional e renome nacional atuando em diversos hospitais privados, clínicas e consultórios, mas infeliz e inexplicavelmente, não contamos com um serviço especializado, estruturado e multidisciplinar na rede pública, contrariando a tendência mundial e as especificações e Orientação do Ministério da Saúde.

 

Tendo em vista o exposto e agora conhecendo as vantagens inquestionáveis da abordagem especializada em câncer ou em sua suspeita cabe a nós, profissionais de saúde e pacientes, buscarmos e cobrarmos a avaliação e condução do tratamento por especialistas oncologistas, devidamente formados e titulados, com residência médica em centros de referência reconhecidos pelos órgãos devidos, sob pena, em caso contrário, de condenação ao pior.